quarta-feira, 25 de maio de 2011

Em nossas mãos

Na China vivia um sábio. Vários séculos já se passaram, mas sua sabedoria é utilizada até hoje. Tratava-se de uma pessoa bondosa e sempre recebia bem quem o procurava. Nunca fez distinção.
Apesar disso, uma pessoa nutria por ele uma inveja profunda, e procurava de todas as maneiras, fazer-lhe, maldades. O sábio, ao contrário, não lhe dava ouvidos e vivia como se essa pessoa não existisse.
Em certa ocasião, o invejoso criou um plano que achou perfeito para publicamente abalar a reputação do sábio. Pensou: - Colocarei um pássaro entre minhas mãos e perguntarei ao sábio se a ave está morta ou viva... Se ele falar que ela está viva, aperto as mãos e o mato. Se falar que ela está morta, abro as mãos e ela voa. Quero vê-lo sair dessa...
Capturou a ave e foi ter com o sábio em sua casa, após ter avisado a população e seus amigos próximos.
- Hoje vou mostrar a vocês que esse homem não sabe nada e que se trata de um enganador.
Aos poucos, a população curiosa ia chegando e, na hora marcada, estavam aguardando o encontro.
O sábio, sem demonstrar qualquer sinal de perturbação, apareceu e logo argüido pelo homem de caráter maldoso:
- Sábio, o que tenho aqui comigo entre minhas mãos, um pássaro vivo ou morto? Quero ver sair dessa, pensou.
Mas para a surpresa de todos, o sábio respondeu: - Porque me perguntas, se a solução está em tuas mãos? 
Um silêncio pairou no ar, naquele momento e agora caro leito, na hora da reflexão.
Diante dos desafios, das tribulações, do desgastes, e de acusações até. Parece que perdemos o rumo.
Mas, frente a tudo isto, é preciso se fixar no que disse o sábio chinês.
“...A solução está em tuas mãos....”
                                                         Acredita?  Se não, pelo menos, pense nisto!

sexta-feira, 20 de maio de 2011

PERDOAR SEMPRE

Não deixe de perdoar os seus inimigos - nada os aborrece tanto, afirmou um dia Oscar Wilde, dramaturgo, escritor e poeta irlandês. O fato é que nós humanos, não estamos preparados para o perdão.
Quantas vezes, unimos nossas forças em torno do ódio e da dor que sentimos por termos sido ofendido ou magoado, esquecendo o fato de que, este é um sentimento que só prejudica a nós mesmos. Mas, perdoar não é fácil. E é um tema que de longe vem a fazer parte do dia a dia do homem.
Na bíblia, em algumas passagens, é ensinado ao ser humano que perdoar é necessário e que tal atitude vem a ser um dos atos básicos da fé cristã.
O próprio Jesus ensinou aos seus discípulos a orar, e na oração, colocar um pedido ao Pai, que ele "perdoe nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido". Ao apóstolo Pedro, Cristo chegou a destacar, diante da pergunta de quantas vezes deveríamos perdoar, que - na simbologia do número - que deveria ser sete vezes setenta. Ou seja, quis destacar a infinita bondade que o homem deveria ter diante do irmão.
Mas, reforço, não é fácil perdoar. A mágoa está presente, a dor marcante, principalmente quando temos plena convicção, certeza de que o erro cometido pelo outro nos feriu muito e de forma profunda. Mas, perdoar é do homem e tal atitude é essencial ao nosso bem estar interno. 
Aquele que não pode perdoar destrói a ponte sobre a qual ele mesmo deve passar, citou certa vez George Herbert. E é de fato, verdade.
Pensamos nisto, enquanto caminhamos nesta estrada onde recebemos diariamente a oportunidade de vivermos a prática de ser Humano.
"Perdoar é doar o amor, é permitir que a pessoa objeto do perdão possa também devolver um amor que, até então, só negara" - Artur da Távola

terça-feira, 10 de maio de 2011

Faça o que eu digo.....

Dar exemplos, sempre. Nós humanos, tempos 24 horas do dia como oportunidade para fazê-lo. Trata-se de um gesto humano, cristão e de cidadania. Mas dar exemplos  vai além do que sugerir passos, aconselhar caminhos. É mostrar na prática o que sabemos, e defendemos na teoria. É, sem sombras de dúvidas, desafiador. Quantas pessoas você conhece, que consegue no dia a dia se diferenciar do ser e o fazer? Quantos, próximos a ti caro leitor agiram ou agem diferentemente das 'filosofias' que pregam e das connvicções que defendem?
Tem sido assim nas organizações, na política, na família, na comunidade e na convivência diária. Aliás, não só com os outros. Também somos assim, muitas vezes. Quantas dicas damos aos outros, orientações para uma vida melhor, um conselho a um amigo, diante das mais diversas situações e, no fundo, em nada daquilo acreditamos ou até mesmo colocamos em prática?
Esta reflexão, caro leitor, me faz lembrar Gandhi - aliás tenho lido muito sobre ele, e citado neste espaço. Certa vez, Gandhi foi procurado por uma mãe que carregando seu filhinho no colo pediu orientações. Temia por sua saúde já que ele comia muito açúcar. Como confiava muito nas palavras do mestre, acreditou que poderia encontrar uma solução. - Peça para que ele pare de comer açucar - disse a mãe desesperada.
Gandhi pediu para que a mãe retornasse em outra oportunidade.
Passados 15 dias, lá estavam eles, frente a frente. O líder olhou para o menino e disse: - por favor, pare de comer açucar. O garotinho baixou a cabeça e fez sinal que iria obedecê-lo. Mas intrigada, a mãe retrucou: - Gandhi, por que você não falou isso há 15 dias?
- É que há 15 dias atrás, eu também comia muito açúcar!
Pois é, caro leitor, quantas vezes exigimos dos outros, aquilo que ainda não conseguimos mudar em nós. Pensamos nisto, sempre.

Para reflexão: "Sejam quais forem as respostas, não tenha medo delas. Perguntar-se é uma maneira interessante de se descobrir como pessoa, pois as perguntas são pontes que nos favorecem travessias."

O Bem....sempre!

 

Muitas vezes as pessoas são egocêntricas, ilógicas e insensatas. Perdoe-as assim mesmo! Se você é gentil, podem acusá-lo de egoísta, interesseiro. Seja gentil assim mesmo! Se você é um vencedor terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros. Vença assim mesmo!
Se você é bondoso e franco poderão enganá-lo. Seja bondoso e franco assim mesmo! O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para a outra. Construa assim mesmo!
Se você tem paz e é feliz, poderão sentir inveja. Seja feliz assim mesmo! O bem que você faz hoje, poderão esquecê-lo amanhã. Faça o bem assim mesmo!
Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante. Dê o melhor de você assim mesmo! Veja você que, no final das contas é entre você e Deus. Nunca foi entre você e os outros.
As sábias e desafiadoras palavras são de madre Teresa de Calcutá, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz em 1978, pelos serviços prestados à humanidade. Ele dedicou toda sua vida aos pobres e famintos. Morreu em 1997. Após sua morte, foi beatificada pelo Papa João Paulo II.
Foi uma guerreira, humana, cristã. Exemplo a ser seguido. E que, conforme suas próprias palavras, é um exemplo fácil de se inspirar, basta querer. Ela mesmo destacou em uma ocasião, que por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar, segundo ela, seria menor se lhe faltasse uma gota.
Por tanto, façamos, sem pestanejar, o bem. Assim, seremos grandes, seremos mais, e, com certeza, encontraremos a felicidade tão almejada e paz tão necessária para nossa vida.
Ah, que como afirmou João Paulo II, “rico, de fato, não é aquele que tem, mas aquele que dá.” Pensemos nisto, sempre.