sexta-feira, 20 de maio de 2011

PERDOAR SEMPRE

Não deixe de perdoar os seus inimigos - nada os aborrece tanto, afirmou um dia Oscar Wilde, dramaturgo, escritor e poeta irlandês. O fato é que nós humanos, não estamos preparados para o perdão.
Quantas vezes, unimos nossas forças em torno do ódio e da dor que sentimos por termos sido ofendido ou magoado, esquecendo o fato de que, este é um sentimento que só prejudica a nós mesmos. Mas, perdoar não é fácil. E é um tema que de longe vem a fazer parte do dia a dia do homem.
Na bíblia, em algumas passagens, é ensinado ao ser humano que perdoar é necessário e que tal atitude vem a ser um dos atos básicos da fé cristã.
O próprio Jesus ensinou aos seus discípulos a orar, e na oração, colocar um pedido ao Pai, que ele "perdoe nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido". Ao apóstolo Pedro, Cristo chegou a destacar, diante da pergunta de quantas vezes deveríamos perdoar, que - na simbologia do número - que deveria ser sete vezes setenta. Ou seja, quis destacar a infinita bondade que o homem deveria ter diante do irmão.
Mas, reforço, não é fácil perdoar. A mágoa está presente, a dor marcante, principalmente quando temos plena convicção, certeza de que o erro cometido pelo outro nos feriu muito e de forma profunda. Mas, perdoar é do homem e tal atitude é essencial ao nosso bem estar interno. 
Aquele que não pode perdoar destrói a ponte sobre a qual ele mesmo deve passar, citou certa vez George Herbert. E é de fato, verdade.
Pensamos nisto, enquanto caminhamos nesta estrada onde recebemos diariamente a oportunidade de vivermos a prática de ser Humano.
"Perdoar é doar o amor, é permitir que a pessoa objeto do perdão possa também devolver um amor que, até então, só negara" - Artur da Távola

Nenhum comentário:

Postar um comentário