quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Bom, útil e verdadeiro


Fiquei a refletir nos últimos dias a respeito de um texto atribuído a Sócrates, grande filósofo da Antiga Grécia (claro que não foi ele.....mas, vale a mensagem), no qual ele chama a atenção de um amigo por seu jeito de contar a outros uma novidade sobre alguém.
Ao aplicar o que chamou de Filtro Triplo, "Sócrates" dá uma grande lição, não só ao amigo, mas também à humanidade.
Quando alguém lhe perguntou: - sabe o que eu acabei de ouvir acerca daquele teu amigo? Eis que "Sócrates" respondeu: Antes que me digas alguma coisa, gostaria de te fazer um teste. Chama-se o "Teste do Filtro Triplo".
Filtre muito bem aquilo que vais dizer.
O primeiro filtro é a VERDADE. Tens a certeza absoluta de que aquilo que me vais dizer é perfeitamente verdadeiro?
O segundo é a BONDADE.  Responda-me agora: o que me vais dizer sobre o meu amigo é algo bom?
O terceiro filtro é a UTILIDADE. Por isso, me esclareça: o que me vais dizer sobre o meu amigo será útil para mim?
Se o que me dirás não é nem bom, nem útil e muito menos verdadeiro, para que dizer-me?
Então caro leitor Das Coisas que Vi, está aí um desafio que deveríamos ter na pauta do dia, como prioridade.
Avalie. Este ensinamento pode ser utilizado para filtrar o que as pessoas queiram nos dizer ou o que queremos dizer aos outros.
Quantas vezes nos pegamos a contar ‘verdades’ sobre nossos conhecidos, colegas, chefes, a partir do que ouvimos dos outros. Não nos preocupamos em avaliar o teor do conteúdo e damos um jeito de ‘passar’ adiante a informação.
“Sabe da última?”. Sempre tem alguém com uma novidade para contar. Aliás, nós também. Mas, na maioria das vezes, distribui-se ‘democraticamente’ estas verdades, que vão causar estragos desnecessários. A menos que a pretensão seja esta.
A inveja, em muitas vezes, é o ingrediente número 1 para que as conversas se espalhem e tomem proporções descabidas.
Aliás, o invejoso sempre acredita que o jardim do vizinho é mais bonito, mais colorido, melhor organizado, tão cheio de vida.
Esquece ele de olhar para seu espaço, de apreciar o que é seu, e, desta forma, cuidar para que continue a ser florido, perfumado, tanto quanto o do vizinho.
Ah, a inveja. Destrói, sim, mas, mais o invejoso, que deixa de viver, do que a ‘vítima’ escolhida.
Então, que possamos fazer o exercício diário sugerido por Sócrates. Usar o filtro triplo.
Avaliar bem os fatos. Saber se é verdadeiro, bom e útil. Desta forma, seremos mais felizes, pois, não será nossa voz a portadora de ‘falsas’ verdades sobre o outro.
E como disse um amigo meu, “se for falar de mim, me chama. Sei tantas coisas a meu respeito...”
                                                                               ------
“Se meus inimigos pararem de dizer mentiras a meu respeito, eu paro de dizer verdades a respeito deles”. - Adlai Stevenson

Nenhum comentário:

Postar um comentário