segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Ações para dizer não às drogas...sempre!


Em 2000, quando o então tenente Paulo Kunkel, colocava em prática em Santa Rosa, após se preparar na capital do Estado, ao Proerd, talvez nem passasse pela cabeça o rumo que aquela proposta desafiadora tomaria.
Da sua primeira turma, de 35 estudantes da Escola Cruzeiro até hoje, passaram 10 anos. E, neste período, muita coisa aconteceu. As drogas estão mais presentes em nosso meio e cada vez mais, nossos jovens se perdendo nela.
Mas a luta da Brigada Militar, através do projeto, não terminou.
Coube ao Sargento Amarildo dar sequência, já em 2001, ao trabalho, pelo qual se apaixonou. Junto com colegas da BM, dedica horas e horas na incansável luta de orientar crianças, com idade entre 09 e 12 anos, e prepará-las para saber dizer não às drogas e aos vícios. Em encontros semanais, o sargento, acompanhado dos soldados Loila, Susane, Parahyba, Jéferson, Matter, visitam escolas que aderiram ao programa, e para estudantes de 4ª e 6ª série, aplicam a proposta.
O resultado nestes 10 anos: 12 mil alunos atendidos, dos quais, 1.120 apenas no segundo semestre deste ano, que na última semana, orgulhosamente participaram de uma belíssima e emocionante formatura, que lotou as dependências do Centro Cívico Antônio Carlos Borges. As crianças representaram 21 escolas, da rede pública e privada de Santa Rosa, que souberam compreender a importância de debater o assunto e preparar a futura geração a tomar a decisão certa diante das tentações da droga.
Para Amarildo, a ideia é simples. É preciso levar a polícia onde o povo está e, de forma preventiva agir, com orientações e dicas e, desta forma, tornar-se um aliado das famílias.
Saudamos pois, o Proerd, que por sua importância, a partir deste ano, recebe o apoio irrestrito do Poder Público. Uma lei aprovada pelo Legislativo destina recursos para o programa e que são aplicados na aquisição de material, uniformes e prêmios, sorteados entre as melhores redações, criadas pelos alunos participantes.
Na última semana, Kunkel, agora Capitão - e de volta a Santa Rosa-  foi lembrado. Recebeu justa homenagem dos que coordenam o projeto, por reconhecer o fato de que aquela sementinha lançada em solo fértil na primeira turma deu frutos. Os 12 mil alunos atendidos agradecem. As famílias, também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário