sexta-feira, 3 de junho de 2011

E a família, como vai????

Todos os dias, em todos os meios de comunicação temos acompanhado notícias nada agradáveis que nos fazem refletir sobre a quanto anda nossa família. Você tem reparado isto, caro leitor?
São notícias que envolvem jovens e o desvio do caminho devido ao contato direto com o mundo das drogas e – por via de consequencia – do crime. São violências domésticas, onde a relação de amor e respeito mútuo tem sido deixado de lado.
Não há compreensão, entendimento, diálogo, paciência. Valores éticos e morais são deturpados pelos meios, que 'vendem' verdades e 'semeiam' modismo, como se tivessem o direito de fazer-nos aceitar novas situações.

Não podemos, dentro de um novo contexto, divergir, ignorar, afirmarmos com convicção nosso ponto de vista, nossa posição. Ou se é a favor ou não. E se não aceitamos, poderemos ser taxados de preconceituosos, de andarmos na contramão. 
Ao decidir falar sobre família, não quis caro amigo, levantar bandeiras, mas sim, como sempre faço, sugerir reflexões sobre o assunto. E então, como estamos lidando, como estamos cuidando de nossas famílias?

Dia desses assisti Padre Fábio de Mello, em uma de suas belas pregações. Tratou da família e ressaltou a importância dela ter um 'selo de qualidade'.
Ele lembrou que a família não começa de uma hora para outra, família é fabrica de gente. “Para uma empresa receber um selo de qualidade todo o processo é analisado. Se você estivesse que pensar na estrutura familiar que você tem, e lhe dessem a autoridade de colocar um selo em cada pessoa, qual seria o selo que você colocaria? Qual selo de qualidade você colocaria na sua família?”, questionou, dizendo que ser família é um processo artesanal, não é como uma indústria que produz geladeira em séries, por exemplo.
Para o religioso, músico e filósofo, se percebermos, no caso de um filho, que nosso jeito de tratá-lo, de cuidá-lo, não está dando certo, é preciso encontrar outra maneira, mas é preciso fazer, antes que vem outro e o faz. “Se  você não olha para sua cria de maneira certa, você perde ela para o traficante. Ele está por ai, ele busca matéria prima do outro. Ele não vicia o filho dele, mas do outro. E é ai que você tem que olhar para mais urgente e primeira necessidade, é meu filho. Se eu negligenciar o meu papel de pai, de mãe, outro vem fazer”.....

Pura verdade, tenho certeza disto. Ser pai, ser filhos, ser irmãos é colocar o selo de qualidade todos os dias.
Em outra oportunidade Padre Zezinho citou que temos que saber usar o controle remoto. Pois se não soubermos, perderemos no futuro a autoridade dentro de casa. Ou seja, se temos o controle em nossas mãos, saberemos para onde vai nossa família.
Os exemplos – maus - estão aí, a nos mostrar que precisamos cuidar dos nossos, diariamente e de forma intensa.

“Se você passar por uma guerra no trabalho, mas tiver paz quando chegar em casa, será um ser humano feliz. Mas, se você tiver alegria fora de casa e viver uma guerra na sua família, a infelicidade será sua amiga”.
Augusto Cury

Nenhum comentário:

Postar um comentário